Tertúlia Mira-Minde “Um Futuro Pós-Industrial”

No passado dia 3 de Maio, tivemos o prazer de receber no Clube União Mirense cerca de 100 participantes numa primeira tertúlia que se pretendia marcar como um primeiro passo na criação de um movimento de pessoas dispostas a trabalhar para mudar o nosso panorama actual.

Tivemos como convidados especiais neste primeiro encontro a Coordenadora do Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros, Maria de Jesus Fernandes, a Presidente da Junta de Freguesia de Minde, Fátima Ramalho e o Presidente da Junta de Freguesia de Mira de Aire, Alcides Oliveira, aos quais agradecemos a sua disponibilidade para vir conversar num ambiente que se pretendia acima de tudo construtivo.

Uma das ideias que serviu de base a esta discussão foi a seguinte imagem, com a qual se pretendia ilustrar a divisão administrativa com a qual temos e lidar e que na opinião de muitos dos presentes se torna um empecilho ao desenvolvimento do enorme potencial que tem o nosso Polje.

Mira-Minde-PNSAC

Na verdade a maioria das intervenções da noite acabaram por “rodar” à volta deste assunto, e como disseram alguns dos intervenientes, acabou por se falar mais dos constrangimentos e do passado do que propriamente das ideias para o futuro. Tenho que concordar com a ideia que se era para discutir “um futuro Pós-Industrial” acabou mais por se falar do passado Pré-Ecológico. Acho que foi importante percebermos das limitações que cada uma das entidades representadas tem na gestão dos territórios respectivos, sejam de ordem económica, sejam de ordem administrativa.

Ficamos a saber por exemplo que as Juntas de Freguesia não tem dinheiro para nada que fuja da gestão normal das suas áreas urbanas, e que a Coordenadora do Parque, tem para além deste nosso PNSAC, outras 5 ou 6 áreas protegidas debaixo da sua administração o que torna o trabalho muito mais complexo se compararmos ao modelo de Directores de Parques Naturais que existiam anteriormente.

Também ficamos a saber que está para se implementadas mudanças no modelo de gestão dos territórios das áreas protegidas, nos quais serão (em principio) os Municípios que ganharão mais competências na gestão desses territórios, veremos como?

Ambiente muito singular proporcionado pelo Clube União Mirense

Outra das ideias centrais da noite, foi a constatação que a Mata é um bem precioso que todos desejamos preservar e que sentimos como um elemento único e que pode potênciar o nosso desenvolvimento futuro, seja turisticamente, seja para usufruto das nossas gentes enquanto espaço privilegiado de actividades lúdicas e desportivas. Espaço que infelizmente não está a ser cuidado do ponto de vista da manutenção (por exemplo na limpeza dos caminhos, prevenção de fogos florestais) nem tão pouco na organização do espaço com percursos identificados que pudessem potênciar uma maior utilização dos mesmos (salvo raras excepções, mais até do lado de Minde com alguns trilhos marcados).

Quem não pode estar presente poderá assistir à maior parte da tertúlia no video filmado e realizado pela TVMinde.

Em jeito de conclusão gostava de partilhar os seguintes pensamentos:

  • Temos um território lindo onde moramos, e uma linha estúpida que nos separa administrativamente. Felizmente está nas nossas mãos esbater essa linha e trabalhar juntos para conseguir que as próximas gerações consigam ter uma vida saudável e feliz, com trabalho e muitos amigos.
  • Temos fortes indicações pelos movimentos associativos que existem em abundância nas nossas freguesias que somos pessoas dinâmicas e solidárias
  • Temos uma tradição cultural impar, com a música e o teatro e os clubes desportivos, que se soubermos continuar a alimentar nos podem fazer crescer não só espiritualmente mas também economicamente.
  • Temos um modelo económico esgotado e pronto para ser re-inventado, vamos agarrar as oportunidades ou vamos continuar encostados aos muros das lamentações?

Prontos para a 2ª Tertúlia, em Minde?

Agradecimentos muito sentidos à direção do Clube União Mirense (Um Clube com 85 aninhos mas cheio de vitalidade) pelas muitas tertúlias a que já nos habituaram na primeira 6ª Feira de cada mês e que versam sempre assuntos de interesse para a comunidade. Uma especial palavra de agradecimento também à Sónia Azoia pela oferta dos Pastéis de Mira de Aire, Lagartos, Línguas de Gato e Broas de Café que estavam deliciosamente confeccionados. Gostaria também de realçar o empenho da TVMinde que desde a primeira hora apoiou esta ideia e fez força para que o evento ficasse registado para memória futura, obrigado Rui Venâncio.

Partilha este artigo...

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest