O Grande Hiato

Por estes dias sinto como se vivesse dentro de um enredo de um filme de ficção cientifica, o nosso mundo, a nossa maneira de viver, todas as nossas certezas, tudo aquilo que tínhamos por garantido de repente no espaço de um ou dois meses foi posto em causa… pausa.

Pausa

Neste momento é de consenso quase global que a forma de parar a epidemia é interrompendo a cadeia de transmissão do vírus, interrompendo enfim a normalidade dos nossos dias, tentando aceitar tranquilamente este estado de emergência paralisante que nos apela civicamente a parar e a ficar em casa com os nossos mais próximos.

Outro consenso quase global é o da grande incerteza económica que iremos enfrentar para que as coisas voltem ao normal no pós pandemia. A crise, a grande crise, como iremos pagar isto tudo?

Karma, praga, conspiração, oportunidade…

Acho que cada um de nós, como de resto com tudo acontece na vida irá interpretar e construir a sua própria versão e explicação pessoal para este acontecimento que nos afecta a todos.

Uns certamente irão construir uma narrativa em volta do KARMA, e de como o sistema terrestre ou a natureza nos está apenas a dar um sinal que estamos em desequilíbrio e que temos de mudar os nossos comportamentos para compensar todo o mal que temos feito enquanto espécie.

Outros mais ligados ao mundo divino poderão interpretar estes acontecimentos como um castigo divino que estava escrito algures nos antigos livros, e tal como as PRAGAS do antigo testamento serão apenas um castigo que algum Deus escolheu na sua omnipotência aplicar aos seus filhos para que estes aprendam mais uma lição e se façam mais justos e solidários entre si.

Outros ainda defenderão alguma teoria da CONSPIRAÇÃO (acreditem eu ouvi de viva voz o rascunho de algumas delas) que alguém, organização secreta, ou até governo criou este vírus num grande esquema para fazer rios de dinheiro com a apresentação de uma solução milagrosa que todos vamos querer comprar como um bilhete da felicidade que nos irá restaurar a liberdade e a normalidade.

Podemos pintar o quadro como muito bem quisermos e está tudo certo, somos animais pensantes com um ego para alimentar que nos faz até acreditar que aplicamos uma certa racionalidade às nossas acções e portanto dai a nossa superioridade enquanto espécie dominante. Qualquer que seja a nossa escolha, acho que o que se nos apresenta neste momento é uma OPORTUNIDADE para mudar. Esse é o grande consenso que importa plantar e fazer crescer. Esta oportunidade de fazer um “reboot” ao sistema em que vivemos é única e espero que tenhamos alguma consciência colectiva ou inspiração divina que resulte na construção de um mundo mais equilibrado.

Equilíbrio

Andamos há já alguns anos a falar em sustentabilidade e defesa da nossa casa comum (o planeta). Se calhar deste hiato poderemos intuir que não precisamos de viver tão depressa e de nos deslocar tanto, se calhar para sermos felizes não precisamos de constantemente consumir mais e mais, se calhar o sistema industrial e capitalista que nos sustenta pode ser ajustado para ser mais económico energicamente, mais local, mais saudável. Se o que mais valorizamos afinal é a vida, a saúde, a família e os amigos, então aproveitemos esta pausa para pensar em estratégias para encontrar um equilíbrio nessas dimensões da vida.

Economia

O que esta crise anunciada parece ter em comum  é a dificuldade em enfrentar o hiato. Para mim que sou idiota parece-me fácil de resolver se os intervenientes do sistema encarassem isto como um intervalo no jogo. Ok vamos todos chegar a um acordo e aceitar esta pausa sanitária como um momento de descanso. Tenho a certeza que resultaria mais justo para todos. Os governos e os bancos centrais assumiam o gasto e arrumavam lá no livro da contabilidade geral. Se o dinheiro é uma forma convencionada de transmissão de valor, aceitem a pausa e retomem a normalidade, ficaremos todos muito melhor.

Como duvido que a estratégia seja essa planeio daqui para a frente trabalhar para aumentar a minha capacidade de resiliência através da independência alimentar aprendendo e acima de tudo praticando permacultura (mais novidades muito em breve aqui no blog).

É a ti que compete fazer a mudança.

Gostava deixar uma mensagem final especialmente para ti que neste mundo de alta velocidade de consumo de informação tiveste a paciência de ler este texto até ao fim. Esta mudança para um mundo mais equilibrado está apenas nas tuas mão fazer. É com as tuas escolhas enquanto ser deste planeta que vais transformar a tua vida e a vida dos teus mais próximos. Por isso faz a escolha diariamente, mudando o pouco que consigas na forma como vives e daqui por umas gerações vais ver os teus grandes feitos no sorriso das crianças.

Partilha este artigo...

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest